Medicina esportiva: o guia geral sobre essa especialidade

Acabou de se tornar médico e está em busca de uma especialidade? A medicina esportiva é uma área que deve ser considerada. Nos últimos anos, ela cresceu bastante e expandiu seu campo de atuação.

Não há dúvidas de que as pessoas estão mais preocupadas em praticar atividades físicas. Como consequência, é esperado que exista um aumento de distúrbios do sistema musculoesquelético e da demanda por tratamentos relacionados a lesões.

Esse cenário também contribui para o surgimento de tratamentos alternativos e de novas capacitações voltadas para médicos, como os cursos de cannabis medicinal. O fato é que existe um campo de atuação muito amplo e muitas oportunidades de aprendizado.

Foi pensando nisso que decidimos produzir este post. A seguir, você confere um guia geral sobre a carreira de um médico especializado em esportes. Acompanhe!

O papel da medicina esportiva

De maneira simples e direta, o papel da medicina esportiva é prestar auxílio a pacientes de todas as idades a superarem lesões decorrentes de atividades físicas. Ou seja, ela pode ser útil para atletas profissionais e, também, amadores.

O grande objetivo do médico que atua na área é assegurar que a pessoa volte às suas atividades normais o mais rápido possível e de forma segura. Para isso, ele pode trabalhar em um consultório ou integrar uma equipe multidisciplinar, que engloba fisioterapeutas, enfermeiros e psicólogos, por exemplo.

Além disso, é importante destacar uma atuação que vem crescendo muito, que é o auxílio a pessoas que estão iniciando uma rotina de atividades físicas. Nesse caso, pacientes que buscam emagrecer ou ganhar massa magra são o público-alvo. 

O que faz um médico com essa especialidade

Médicos especializados em medicina esportiva não se dedicam a cirurgias, embora possam realizar procedimentos mais simples. Aliás, esse é um dos motivos que fazem com que sua atuação seja em conjunto com ortopedistas, nutricionistas, educadores físicos e fisioterapeutas.

Ainda assim, seja qual for o seu local de atendimento, esses médicos têm algumas atividades comuns em seu dia a dia:

  • diagnosticar e tratar distúrbios do sistema musculoesquelético
  • solicitar exames laboratoriais e de imagem;
  • analisar os resultados desses exames;
  • realizar exames físicos;
  • acompanhar atletas de alta performance;
  • definir o melhor protocolo de tratamento para cada tipo de lesão;
  • supervisionar a reabilitação de atletas lesionados;
  • prescrever medicamentos para dor e recuperação das lesões esportivas;
  • gerenciar uma equipe multidisciplinar;
  • educar os pacientes sobre nutrição, regimes de exercícios e prevenção de lesões.

As principais condições tratadas pela medicina esportiva

Ainda falando do cotidiano desses profissionais, podemos identificar algumas condições que são mais recorrentes nos consultórios médicos. Lembrando que isso pode variar conforme o tipo de atividade física praticada pelo paciente. Confira:

  • entorses de tornozelo;
  • fraturas em diferentes ossos;
  • lesões nas articulações do joelho e do ombro;
  • lesões em tendões, ligamentos e músculos;
  • concussões e ferimentos na cabeça;
  • lesões da cartilagem.

O mercado de trabalho para quem se especializa em medicina do esporte

Como destacamos no início do post, a prática de atividades físicas é algo que já faz parte da rotina dos brasileiros. Cada vez mais pessoas se preocupam com a saúde do corpo e decidem se envolver com algum esporte.

Sendo assim, não há dúvidas de que o mercado de trabalho para esses profissionais seja repleto de boas oportunidades. Afinal, é possível ajudar milhares de pessoas a atingirem uma boa forma física e contribuir com o sucesso de atletas profissionais.

Com tantos esportistas amadores e profissionais, especializar-se na área é uma forma de se apresentar como uma solução para um problema atual. Isso porque, o acompanhamento médico é fundamental para a prática segura e adequada de esportes, além da suplementação e reposição hormonal.

Enfim, a área caminha lado a lado com a evolução dos hábitos da sociedade. Com isso, o médico poderá atuar em diferentes ambientes, como:

  • associações esportivas;
  • academias de alto rendimento;
  • times de futebol, vôlei e atletismo;
  • clínica particular para preparação e reabilitação de atletas. 

A melhor maneira de se destacar no mercado

Você já entendeu que atuar como médico do esporte é uma decisão inteligente e que pode te ajudar a construir uma carreira de sucesso. A questão é: como se destacar no mercado e se tornar uma referência?

Antes de tudo, é fundamental ir em busca de uma pós-graduação ou realizar uma residência médica nesse segmento. Lembrando que apenas médicos devidamente registrados podem exercer a profissão.

Mas esse é apenas o básico para poder atuar. Se tornar destaque na medicina esportiva requer muito mais esforço e investimento. Saiba o que fazer!

Entenda as demandas do seu público

Assim que começar a atender, é aconselhável que faça um mapeamento dos seus pacientes. Conheça-os bem e comece a trabalhar para adquirir as habilidades e conhecimentos que eles mais precisam.

Atualize-se constantemente

Se formar e fazer uma residência não deve ser o fim da sua jornada acadêmica. Na verdade, o médico precisa se dedicar à atualização, sempre atento a novos tratamentos e abordagens que podem favorecer o desempenho dos atletas que ele acompanha.

Faça cursos específicos

Além de cursos mais extensos, é interessante que você invista em capacitações mais curtas e focadas em determinado assunto. Sugestões interessantes para essa área são o fellow em medicina esportiva e o curso de cannabis medicinal — que aborda o uso de suas propriedades medicinais a favor do controle da dor crônica (uma queixa comum em atletas de alto rendimento e pessoas com doenças relacionadas ao músculo). 

Conclusão

Se você sempre gostou de ação e da adrenalina das competições, pode encontrar na medicina esportiva o trabalho ideal. Depois de todas as informações apresentadas, você já pode começar a planejar sua carreira.

O primeiro passo é se especializar e se matricular em cursos que o darão melhores condições de ajudar seus pacientes a atingirem seus objetivos e tratarem suas lesões. Lembre-se de que o papel do médico é cuidar das pessoas e, para isso, você precisa ter conhecimento e segurança para atuar.