Rodízio de pneus: veja a importância e como fazer em seu veículo

O rodízio de pneus é uma etapa que ainda gera muitas dúvidas e polêmicas entre os condutores, mas não deixa de ser importante. Seja para o aluguel de carros ou no veículo próprio, essa troca garante uma manutenção preventiva. 

Ou seja, é uma forma de aumentar a vida útil para essas peças. Porque o revezamento, o desgaste do eixo do pneus, parte que faz a tração do veículo, fica mais brando e equilibrado, sem diferenças nas peças que estão no mesmo eixo 

Isso aumenta a segurança para condutores e passageiros. Mas atualmente muitas pessoas se questionam se realmente essa medida é necessária.

E se você tem dúvidas sobre este tema, então pode continuar lendo este artigo. Aqui vamos explicar mais sobre o rodízio de pneus, sua importância e como fazê-lo em seu veículo. Boa leitura!

Mas o que é esse rodízio de pneus?

O rodízio de pneus é uma troca de posição dos pneus nos eixos do automóvel. Ele é feito de forma periódica, onde os dianteiros são colocados na traseira e vice-versa. 

Com o passar do tempo, os pneus ficam desgastados devido ao atrito que tem no solo, perdendo a aderência e deixando os carros instáveis, aumentando o risco de derrapagens e acidentes. 

Por essas razões, muitos especialistas afirmam que o hábito do rodízio de carros aumenta a vida útil dos pneus.

Em contrapartida, há pessoas que afirmam que a medida não faz tanta diferença assim no dia a dia e na conservação dos pneus. 

Contudo, é uma medida que apresenta prós e contras e vale ser analisada para a verificação de sua eficiência. 

E vale lembrar que o rodízio de pneus não é uma obrigação imposta pela legislação de trânsito. Assim, você é quem decidirá se é ou não uma boa ideia fazê-lo em seu veículo e se essa medida é eficiente para as suas necessidades.

Mas abaixo vamos apresentar mais detalhes da necessidade e como fazer o rodízio de pneus.

Por que é necessário o rodízio de pneus? 

Seguindo a norma do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em seu art. 230, inciso XVIII, é considerada infração a conduta de dirigir um veículo que apresenta mau estado de conservação. 

Em outras palavras, o carro precisa estar em perfeitas condições para uso e assim garantir o trânsito seguro. 

Quando o veículo apresenta pneus desgastados, é sinal que ele apresenta um perigo e dirigir com ele é um ato infracional. Portanto a manutenção é necessária. 

E o rodízio de pneus é uma forma de manutenção preventiva, pois fará com que o desgaste nos eixos ocorra de forma mais igualada e o desgaste, que é um processo natural do veículo, ocorra em um prazo maior. 

Mas porque os os pneus dianteiros ou traseiros não devem se desgastar de forma diferente? Em um caso de desgaste pequeno, realmente há pouca diferença. Mas o problema existe quando há um grande desgaste. 

Porque com isso, o carro pode sofrer com um desequilíbrio, dificultando a condução. E quando os pneus se desgastam demais, é preciso fazer a troca antes do previsto, o que não é nada legal para o orçamento. 

Portanto, ao fazer o rodízio dos pneus, eles vão se desgastando de uma maneira mais uniforme e garantem mais estabilidade e segurança ao dirigir. 

Como deve ser feito o rodízio de pneus?

Há duas maneiras de fazer o rodízio de pneus. A primeira é usar os quatro pneus que já estão no carro, a mais comum. A segunda é usando cinco pneus, adicionando o estepe.

Na opção dos quatro pneus, são trocados os dois dianteiros pelos dois traseiros. Este revezamento garante que o desgaste seja sempre igual nos componentes, estabilizando o veículo. 

Quando se usa o estepe, a peça atua ao lado de um pneu mais desgastado, deixando os  seus sulcos estão mais longe do TWI ( medida que indica que o pneu chegou ao limite de uso).

Mas é preciso cuidado nessa opção, porque veículos novos com estepe em tamanho menor podem apresentar piora na condução. 

O  rodízio de pneus é uma tarefa relativamente fácil, em muitos casos pode ser feita até na própria residência. Contudo, fique atento para as características do seu veículo.

Primeiramente, confirme se o pneu é unidirecional, assimétrico ou bidirecional. Em cada caso, há uma diferença, veja:

  • unidirecional: mantenha ao mesmo lado, só trocando o eixo;
  • assimétricos ou bidirecionais: a troca ocorre da mesma forma ou em X.

No rodízio de pneus com estepe é indicado que o pneu novo substitua o dianteiro do lado direito. Não importa se é do tipo assimétrico, bidirecional ou unidirecional.

Nessa troca, é importante que o estepe seja instalado para rodar com o vértice apontando para a rotação do veículo. O pneu que estava no eixo dianteiro vai para o traseiro, que vira estepe, concluindo o rodízio.

Caso o proprietário queira mudar o pneu do lado direito para o esquerdo, terá de desmontá-lo da roda para inverter o sentido da banda de rodagem.

De quanto em quanto tempo fazer?

O rodízio de pneus precisa ser feito de forma periódica, de acordo com o que indica o manual de cada veículo. 

Todavia, independente das especificações, os fabricantes de pneus afirmam que a troca deve ocorrer entre 8.000 e 10.000 km rodados, no caso dos pneus radiais, sendo 5.000 km para os diagonais.

De qualquer maneira, o mais indicado é fazer o rodízio constantemente, sempre verificando a posição dos pneus e seu estado. Nunca tente recuperar um pneu que o fabricante indica não ter mais jeito, porque isso pode piorar a direção do veículo. 

Algumas borracharias aplicam soluções inapropriadas que só trarão insegurança e problemas futuros. Portanto, escute os especialistas e invista de forma segura na troca de pneus de seu veículo. 

Assim, o veículo fica com o desgaste mais uniforme dos pneus, garantindo um dirigir mais fácil e seguro para os condutores e passageiros dentro dos veículos, além de seguir a legislação.